domingo, 7 de setembro de 2014

FLORES - Vals de las flores - Tchaikovsky


OS DILETANTES DE PENSAMENTO CURTO

Roubei a frase a Stephan Zweig.
Há muita gente diletante e o vento dissemina-os.
Deixaram de haver cortinas nas janelas e tudo se comunica entre si.
Ninguém acredita em ninguém mas todos fazem que acreditam.
As pessoas interessam-se por tudo mas na verdade por quase nada se interessam, à excepção do futebol.
Abandonam hoje tudo o que os apaixonou ontem.
Hoje, fica-se ofendido com um político amanhã com outro e é a indiferença geral, ninguém é completamente prejudicial, completamente criminoso, completamente mafioso como ninguém é absolutamente útil.
Quais os sentimentos das pessoas?
A inveja, o prazer e o arrecadar cada vez mais.
Parece que vivemos todos em lares emprestados e este país não é o nosso
Critica-se o que existe como se não existisse.
Evita-se qualquer clareza e passeia-se pela magnanimidade dos seus créditos.
Tudo isto para dizer ou talvez não, que gosto mais de artistas do que diletantes.